Ouro Espanhol: 10 fatos sobre a Espanha e os Azeites


Ouro Espanhol: 10 fatos sobre a Espanha e os Azeites

Assim como as diferentes uvas e suas nuances de cultivo produzem vinhos de personalidades variadas, a azeitona é determinante para o azeite. Solo, clima, características, tempo de maturação e método de prensagem do fruto definem acidez, qualidade e sabor do azeite.

E se tem alguém que entende de assunto é o espanhol. Maior produtor de azeite do mundo, a Espanha abastece 60% do mercado da União Europeia e exporta para mais de 100 países, incluindo o Brasil.

Lá se foram 3 curiosidades sobre Azeites e Espanha. Siga adelante para conhecer outras 10!

1. O sucesso do azeite espanhol está na qualidade e na diversidade. A Espanha cultiva mais de 260 variedades de azeitona, embora aproveite apenas 24 delas para produzir azeite.

2. A região da Andaluzia, no sul da Espanha, arca com 75% da produção nacional e se mantém como o maior cultivar de azeitonas do mundo. Só a província de Jaén produz mais azeite do que a Grécia, o terceiro maior produtor mundial. Detalhe: o território de Jaén equivale a um terço do grego.

3. Geralmente, a inspiração para os nomes das azeitonas vem da árvore produtora, forma da folha ou região de cultivo. As principais variedades utilizadas na produção de azeite são Picual, Hojiblanca, Lechin, Cornicabra, Verdial, Picudo, Arbequina e Empeltre.

4. Azeites monovarietais são aqueles produzidos a partir de um só tipo de azeitona. Os blends incorporam mais de uma variedade.

5. Desde 1977, os azeites espanhóis possuem Denominação de Origem (DO), a certificação que garante a autenticidade e a qualidade do produto. Hoje, a Espanha soma 27 DO: só a Andaluzia responde por 12, e a Catalunha, por cinco.

6. Picual, a azeitona com a extremidade pontuda (pico), é a variedade mais relevante da Espanha, respondendo por 50% do montante de azeite espanhol e por 20% da produção mundial.

7. “Zitoun” e “Zite” eram como os fenícios chamavam “oliveira” e “azeite“, respectivamente. Os fenícios foram, provavelmente, um dos povos responsáveis por carregar o azeite para o Mediterrâneo Oriental, entre 12000 e 730 a.C. Daí, gregos, romanos e árabes — que botaram os pés na Espanha — ampliaram e difundiram técnicas de cultivo e aplicação do óleo.

8. É o grau de acidez que determina a classificação dos azeites: a acidez do extravirgem não ultrapassa 0.8%; o do virgem deve se estabilizar entre 0.8% e 1.5%. A acidez não influencia na cor ou sabor do azeite, mas é um indicador de seu valor nutricional e, neste quesito, o extravirgem é superior.

9. No Entretapas, toda a equipe participa de workshop ministrado pelo nosso chef Jan Santos sobre tipos de azeite de oliva extravirgem.

10. O Gazpacho do Entretapas (foto abaixo) cai muito bem com o azeite feito da oliva Arbequina.

 

17082015-ThumbAzeiteTrioDeSopas-855x570
O trio de sopas andaluzas do Entretapas: gazpacho, ajoblanco e salmorejo de beterraba.

+ There are no comments

Add yours